Conquistas da Avaaz em diversas partes do mundo

on .

A Avaaz é uma rede de campanhas global de 41 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas nacionais e internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 18 países de 6 continentes, operando em 17 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.

Para entrar em contato com a Avaaz, escreva pelo link www.avaaz.org/po/contact

Membros da AVAAZ contabilizam conquistas :

Ajudamos a garantir o primeiro plano europeu sobre imigração 

Depois que milhares de pessoas em busca de asilo morreram afogadas no Mar Mediterrâneo no início deste ano, finalmente a Comissão Europeia propôs um Plano de Imigração para fazer com que todo o continente compartilhe a responsabilidade por resgatar, reassentar e relocar refugiados. Entramos em ação para apoiar a iniciativa da seguinte forma:

• Primeiro, arrecadamos US$500 mil dólares e doamos o dinheiro para a missão de resgate privada mais eficaz do Mediterrâneo, a Migrant Offshore Aid Station (MOAS), que já salvou 7 mil pessoas em 2015. Também apoiamos uma organização local que ajuda crianças refugiadas desacompanhadas. Na Grécia, membros da Avaaz se prontificaram a ajudar as crianças e se tornaram voluntários pela causa.
• Em seguida, usamos recursos doados pelos nossos membros para executar uma missão de ajuda da Avaaz nas ilhas gregas – onde famílias sírias chegam todos os dias em barcos quase caindo aos pedaços – para fornecer roupa de cama e kits de saúde a milhares de pessoas. Busque inspiração no blog de Mike Baillie, colaborador da Avaaz.

• Ao mesmo tempo, montamos uma Rede de Voluntários Europeus para Refugiados. Mais de 1.600 membros da Avaaz já estão ajudando em programas em todo o continente. Na Grécia, Malta e Itália, estamos ajudando com a integração de famílias que chegam pelo mar. Na Alemanha e na França, membros da Avaaz estão abrindo as portas de suas casas para refugiados e, no Reino Unido, estão apoiando sírios a voltar à vida normal.

• Também fizemos pressão – 450 mil membros da Avaaz na União Europeia pediram medidas urgentes em uma petição entregue a todos os chefes de Estado e ao Comissário europeu em matéria de migração. Além disso, 65 mil membros enviaram mensagens pessoais para ministros, além da campanha que chamou a atenção do mais alto escalão do governo. Um assessor do presidente da Comissão Europeia nos escreveu agradecendo por nossa “bela iniciativa”.

• Quando, depois de semanas de estagnação, descobrimos que a Polônia, a Áustria e a Espanha estavam bloqueando um acordo, inundamos seus ministérios com telefonemas. Voluntários da Avaaz fizeram um vídeo especialmente para o ministro espanhol para assuntos de refugiados mostrando o apelo de cidadãos sírios, que bombou na mídia espanhola.

Juntos, mostramos aos líderes que o público europeu quer ajudar as pessoas vulneráveis que fogem da guerra, rebatendo com atos de compaixão a narrativa xenófoba que permeia o discurso. Agora, um acordo foi selado: a União Europeia triplicou o orçamento de busca e resgate no Mediterrâneo e vai oferecer abrigo a mais de 50 mil pessoas que fogem de guerras. É o primeiro passo, mas a magnitude desta crise humanitária nos obriga a continuar pressionando líderes para aumentar as rotas seguras para a Europa – é a melhor maneira de ajudar famílias desesperadas e deter o tráfico ilegal.

Organizamos uma carta de grandes economistas para Merkel contra a austeridade grega

Quando os gregos disseram “não” no referendo sobre mais medidas de austeridade e a União Europeia ameaçou chutar a Grécia para fora da zona do euro, a Avaaz coordenou uma carta aberta à Merkel escrita por cinco dos principais economistas do mundo atual, incluindo Thomas Piketty e Jeffrey Sachs. Anexada a uma petição da Avaaz com 530 mil assinaturas na Europa, a carta foi parar em todos os jornais da Alemanha e deu a volta ao mundo. Ela teve um impacto tão forte que, a pedido do Ministro das Finanças da Alemanha, seu economista-chefe escreveu uma resposta em um jornal de grande circulação do país. O debate está acirrado e vamos continuar levando adiante ações para mudar o ponto de vista econômico vigente na Alemanha, país com a maior possibilidade de libertar a Grécia de uma austeridade ainda mais fracassada e esmagadora.

 Fizemos a Benetton indenizar as vítimas do desastre de Rana Plaza em Bangladesh

Após 2 anos meramente recusando a indenização, fizemos a Benetton voltar atrás. Veja como conseguimos:

• Promovemos e entregamos à Benetton uma petição com um milhão de assinaturas.
• Fizemos uma enorme tempestade nas redes sociais e, quando nossos posts foram ocultados, republicamos tudo mais uma vez.

• Colocamos placas na porta da sede da Benetton por dias até que a polícia veio. Nosso conselheiro italiano precisou falar no telefone com a polícia para que nos deixassem em paz.

• Envolvemos líderes influentes em conversas diretas com o CEO da Benetton.
• Emitimos um grande apelo aos funcionários da Benetton por meio de anúncios direcionados no Facebook.

• E, por fim, participamos de negociações pessoais e construtivas com executivos da empresa.

A Benetton respondeu apoiando o esquema de compensação e até agradeceu a Avaaz pelo “papel importante e positivo no processo”! Agora que o esquema está totalmente financiado, os trabalhadores e suas famílias receberão pagamento integral das indenizações. Esta história de sucesso pode vir a trazer mais direitos para trabalhadores em todos os lugares.

Arrecadamos US$ 2,6 milhões para as vítimas do terremoto no Nepal

Quando soubemos da devastação causada pelo mega terremoto no Nepal, imediatamente entramos em ação e superamos obstáculos burocráticos para levar ajuda aos mais necessitados. Por meio de parcerias com as melhores organizações de socorro locais, os abrigos, os alimentos e os suprimentos médicos que a nossa comunidade financiou eram frequentemente os primeiros a chegar a aldeias devastadas. Os fundos que arrecadamos estão agora sendo investidos na reconstrução de escolas e instalações médicas cruciais nas regiões mais atingidas, trazendo esperança para inúmeras pessoas. Abari, uma das incríveis organizações engajadas na construção de escolas e casas, enviou uma mensagem de agradecimento: "Enquanto os prédios ainda estavam desmoronando em virtude de tremores secundários no Nepal, a Avaaz nos escutou, entendeu a magnitude do problema e organizou a arrecadação de fundos – tudo em menos de 24 horas. A forma de tomar decisões e agir da organização é impressionante."

Ajudamos a pressionar os poluidores mundiais do G7 a abandonar os combustíveis fósseis para sempre

Após décadas poluindo e resistindo à adoção da única solução viável – uma mudança total para a energia limpa – o G7 surpreendentemente definiu uma meta de longo prazo para abandonar de vez o uso de combustíveis fósseis. Nossa comunidade tem pressionado por essa meta há dois anos, da seguinte forma:

• Encabeçando a Marcha do Clima no ano passado, com 700 mil pessoas nas ruas;
• Promovendo uma petição com 2,7 milhões de assinaturas por energia 100% limpa, que foi entregue a dezenas de políticos;

• Coordenando dezenas de passeatas, lobby de alto escalão, pesquisas de opinião e campanhas publicitárias em todo o mundo, tudo financiado por nossa comunidade;

• Fizemos três meses de campanha direcionada ao G7, mas especialmente focada em Angela Merkel, chanceler alemã, para colocar o assunto na pauta e firmar uma meta.
Clique aqui para ver os detalhes de como ajudamos a conseguir esta vitória incrível.

Doamos mais de US$ 2,5 milhões para deter o ebola e estamos quase vencendo!

Isso é importante. Esta doença monstruosa – que ameaçava o mundo inteiro – poderia ter matado milhões. Mas todos se uniram para deter a epidemia, sendo que recentemente a Libéria foi declarada livre do ebola! O que fizemos?

• Nossa comunidade doou US$ 2,5 milhões para as melhores operações de ajuda humanitária atuando na linha de frente. Foi a velocidade e agilidade de nossos fundos que salvaram vidas. Nosso parceiro na área de saúde disse: "Estamos muito gratos por seu apoio e pela flexibilidade que nos foi dada em termos de aplicação dos fundos. Esta flexibilidade foi fundamental”.

• Mais de 4 mil membros se ofereceram para ir à África Ocidental e ajudar a conter o ebola. Os voluntários da Avaaz desempenharam um papel crítico em solo – desde o combate à transmissão entre pacientes e médicos em centros de tratamento do ebola até a construção de instalações.

O fato de que o Ebola foi derrotado na Libéria e tem diminuído significativamente nos países vizinhos é uma grande vitória para a humanidade. Fico muito orgulhoso de nossa comunidade por ter mostrado que, em tempos de crise, pessoas em todos os cantos do mundo estão dispostas a arriscar tudo para ajudar gente do outro lado do planeta. O que ficou mais claro do que nunca é que o investimento na saúde pública nesta região é crucial.

Pressionamos o Barclays a desinvestir em uma empresa de defesa israelense

Depois do horrível ataque à Gaza no verão passado, a Avaaz lançou a maior campanha mundial de desinvestimento já vista, pedindo a grandes empresas para cortar os laços com operações e empresas que exercem a ocupação ilegal e promovem a repressão dos palestinos. O arcebispo Desmond Tutu e o comediante Russell Brand se juntaram ao nosso apelo e outros grupos pediram ao banco que desse uma resposta. Em seguida, a equipe da Avaaz reuniu-se com o Barclays para explicar a importância do desinvestimento na Elbit, uma empresa bélica. Recebemos informações que o Barclays já não tem nenhuma ação da Elbit Systems, nem qualquer título, nem possui ações em nome de clientes. O Barclays também confirmou que não recomenda ações da Elbit Systems para clientes em nenhuma plataforma de negociação. Vitória!

Ainda estamos pressionando para fazer com que outras empresas que financiam a ocupação da Palestina parem o investimento e respeitem o direito internacional.

Ajudamos a trazer justiça para Liz, a garota queniana sobrevivente de um estupro

Quando uma garota queniana de 16 anos disse à polícia que havia sido estuprada por seis homens que, em seguida, jogaram seu corpo inconsciente em uma fossa sanitária de 6 metros de profundidade, o castigo dos criminosos foi apenas cortar a grama da delegacia, sendo liberados em seguida! Ao tomar ciência do fato, nossa comunidade respondeu com um mega protesto global e continuamos a aumentar a pressão:

• Entregamos a petição às principais autoridades políticas e da Justiça do Quênia.

• Inundamos a polícia e políticos quenianos nas redes sociais com milhares de mensagens.

• Enviamos um investigador para o local a fim de ajudar a revelar o crime.

• E fizemos parcerias com organizações quenianas incríveis para realizar uma grande marcha com o objetivo de envolver um procurador especial para levar o caso ao tribunal.

Finalmente, depois de quase dois anos, um juiz condenou três dos estupradores a 15 anos de prisão. Segundo Terry Kunina, uma ativista queniana, "a campanha da Avaaz colocou este caso no mapa e se não fosse pelo reconhecimento mundial da situação que Liz enfrentava, tenho certeza de que o caso não teria chegado onde chegou. Liz tem agora a chance de uma vida melhor".

Agora, as autoridades quenianas sabem que o mundo está de olho e que serão responsabilizadas por abusos e impunidade.

Além de todas estas vitórias incríveis, a Avaaz tem crescido bastante e já criou 18 equipes nacionais, de modo que o número e o impacto de nossas campanhas locais estão aumentando rapidamente, da Alemanha ao Brasil, da África do Sul à Rússia. Tudo isso só é possível graças ao engajamento cada vez maior de todos nós – seja participando com frequência em petições ou trazendo os amigos para a Avaaz, ou por meio das pequenas doações em dinheiro e de tempo – estamos criando uma força coletiva esplêndida na Avaaz.

Coisas assustadoras acontecem no mundo, mas vamos dedicar um momento para nos dar um pouco de carinho. Estamos nos unindo aos milhões, semana após semana, e causando impacto em algumas das questões mais complexas de nosso tempo.

Vamos continuar unidos!

Com muito amor, respeito e, acima de tudo, gratidão,

Ricken, Alice, Emma, Danny, Nataliya, Marigona, e toda a equipe da Avaaz